Vale a pena aceitar qualquer trabalho para morar na Italia? Depois de refletir um bocado a minha resposta é “não”. Me refiro obviamente a um grupo de brasileiros que teve oportunidade de terminar uma faculdade e acumular alguns anos de experiência na área no Brasil. Para essas pessoas, chegar na Italia e encontrar um trabalho – por exemplo como garçom – é a maior furada que possa existir.

Por que não vale a pena aceitar qualquer trabalho?

Em primeiro lugar, a menos que você esteja uma estrela no seu setor (e mesmo assim, tenho minhas dúvidas) dificilmente alguma empresa italiana vai te oferecer um emprego quando você mora no Brasil assim de mão beijada. Então a palavra “aceitar” já é um pouco sem sentido. O mais correto seria dizer “procurar” qualquer trabalho.

A questão é que procurar emprego envolve um gasto de tempo seja para procurar emprego como vendedor de loja ou como um profissional da sua área. E, provavelmente, se você gasta o seu tempo para procurar emprego como vendedor, sobrará menos energia para procurar o trabalho que você realmente quer.

Além disso, se você vai ter que aprender tudo de novo mesmo (não pense que é fácil trabalhar com algo que você nunca fez antes), melhor já aprender no seu setor. Sim, porque o modo de trabalhar na Italia provavelmente é diferente do brasileiro porque a cultura é diferente (já é diferente de empresa para empresa em uma mesma cidade, imagina em países diferentes).

Se você gostava do seu trabalho no Brasil, chegar aqui na Italia e ter que fazer uma coisa que não tem nada a ver com a sua personalidade simplesmente para conseguir se manter ao final de cada mês será um sofrimento. Sua moral pode ir parar lá embaixo e pode levar tempo (anos) para você recuperar sua auto estima.

Como encontrar um emprego na sua área

Se você realmente quer trabalhar na Italia, deve levar a sério esse compromisso. Isso significa muita dedicação, horas na frente do computador pesquisando, usando Google, Linkedin, visitando foruns, sites de universidades e empresas. O passo número 1 é decidir em que área exatamente você gostaria de trabalhar na Italia.

Descubra o nome da sua profissão em italiano, quais são as empresas fortes no setor na Italia, que profissionais trabalham nessas empresas. Use as redes sociais para conversar com esses profissionais e pedir dicas sobre a carreira na Italia. Informe-se sobre a necessidade de títulos universitários para exercer a profissão.

Confira semanalmente o site das empresas em busca de vagas abertas. Siga essas empresas no Facebook e no Twitter. Prepare um currículo em italiano correto, mas saiba que o currículo é o último passo para conquistar uma vaga. Sua atitude conta muito, mas não confunda atitude com insistência. Quando não existe vaga aberta, não adianta insistir. Procure as vagas abertas!

Aproveito para lembrar que buscar um emprego na sua área e não aceitar qualquer trabalho não significa ser arrogante. As empresas italianas valorizam muito a humildade, esteja aberto e disposto a aprender.

Informe-se sobre os vistos de trabalho, fica sempre mais fácil se você já tiver tudo em ordem porque entre escolher você e um outro que não tem problemas com documentos, provavelmente é mais fácil a segunda opção.

Nem sempre é fácil conseguir uma vaga morando no Brasil. Se você resolver deixar para tentar diretamente da Italia traga uma quantia que dê para pagar suas despesas por pelo menos 6 meses. O valor necessário depende dos seus luxos e do estilo de vida que você pretende manter, mas lembre-se que o aluguel de um simples quarto em uma cidade grande pode custar até Euro 500,00 ao mês, mais outras despesas como alimentação, saúde, transporte e várias. Ou seja: Euro 1000,00 ao mês é o mínimo do mínimo.

Um plano B

E se você chegar na Italia, passar 5 meses aqui e nada de encontrar o tal emprego na sua área? Bem, nesse caso é necessário um plano B que pode ser voltar ao Brasil ou procurar um emprego qualquer. Na hora do aperto qualquer coisa vale. Mas não saia do Brasil disposto a qualquer coisa. Você já vai sair pensando errado e provavelmente vai enfrentar mais dificuldades do que o necessário… Bem, essa é simplesmente uma opinião pessoal. Para os leitores que já passaram por uma experiência de trabalho no exterior aproveito para passar a bola: vocês concordam ou discordam? por quê?

 

101 COMENTÁRIOS

  1. É Bárbara… concordo em partes contigo. Pode ser?
    Primeiro: acho que toda experiência é valiosa. Ainda que eu não saia com os bolsos cheios da verdinha, sairei com muito melhor do que entrei.
    Segundo: se você não sai do Brasil a conhecer outros mercados sua visão permanece limitada. Não me diga que você mesma não percebe a diferença. Impossível.
    Terceiro: Você esqueceu de esclarecer que o difícil “caminho descrito” é para quem quer procurar na sua área profissional. COISA QUE EU DESACONSELHO TERMINANTEMENTE! E ai concordo contigo… será quase impossível competir!

    Sou a favor de que mais brasileiros venham sim! Que conheçam um “outro lado da moeda”, por exemplo, que não se morre se não trocar o celular todo mes… se não comer carne todo dia… que não se deve pagar 600 reais prá ir num show de “Jonas Brothers”, que minha filha de 15 anos queria ir, mas consegui convence-la do absurdo do preço. Mas, infelizmente o Morumbi lotou! (aqui o show deles foi é 60 euros!)

    É disso que estou falando! Venham sim e aprendam a dar valor ao dinheiro!!! Ai no Brasil eu ganhava 4.500 como psicóloga e nunca pude juntar uma graninha. É só dizer que uma TV Sony aqui 40 pol. custa 500 euro e ai no Brasil custa 2.000 reais, em promoção!!
    Pergunta: Vale a pena ganhar R$4.500 e viver como se ganhasse o mínimo ou é melhor ganhar menos (em euro) e viver como se ganhasse muito mais!! Aqui vou a teatro, show, faço cursos gratuitos, viajo de trem e avião constantemente, etc, etc. A tudo isso chamo de qualidade de vida.
    Ah, sabe quanto ganho? 800 euro e meu marido 2000. E tenho 02 filhas comigo.

    Um abraço,
    Márcia

  2. Marcia,

    Seja muito bem vinda a discussão. Adoro trocar idéias e pontos de vista.

    Você tem razão quando fala que é um absurdo pagar 600 reais para um show ou o preço de uma televisão que no Brasil custa o dobro. Mas você esqueceu de falar do custo de vida básico na Italia, ou seja: casa e despesas.

    Em uma cidade como Florença o aluguel de um apartamento de dois dormitórios sai na faixa dos 1000 euros ao mês. O problema é que o salário médio é de 1000 euros por mês, então na vida de um casal, uma pessoa deve trabalhar apenas para pagar o aluguel. Depois aqui é necessário pagar aquecimento porque é bem complicado passar por um inverno sem aquecimento e despesas várias. A alternativa de comprar um apartamento para quem começa do zero não é tão maravilhosa assim: se um casal de recém chegados do Brasil tiver sorte e conseguir ter aprovado um financiamento, levará mais de 30 anos para pagar um apartamento de 2 dormitórios, com parcelas acima dos 1000 euros ao mês. Resumindo: para quem não tem a sorte de ter herdado um apartamento de propriedade na Italia a vida não é tão simples assim.

    Se por um lado é verdade que os imóveis em São Paulo valorizaram muito (hoje chegam a custar o dobro de 4 anos atrás), por outro existe maior mobilidade social no Brasil. Tem amigos meus no Brasil que tiveram aumento no salário somente porque concluíram um MBA. Aqui na Italia tenho amigos com PhD que ganham tanto quanto um pedreiro.

    Uma grande diferença entre o Brasil e a Italia é que na Italia depois que você quitou seu apartamento, pode viver tranquilo. O salário dá e sobra. No Brasil, depois que você comprou o apartamento, os gastos continuam ao infinito porque o condomínio é altíssimo (essa moda de fazer piscina, churrasqueira, discoteca, sala de ginástica tudo dentro do prédio tem um custo).

    Eu sou a favor da liberdade de ir e vir. Quem quiser vir para a Italia é super bem vindo. Mas sou contra o sofrimento desnecessário. Acho que não é preciso sofrer para ser uma pessoa melhor. Foi por isso que escrevi o artigo. Sei como é frustrante não ter o mesmo reconhecimento profissional porque levei 6 anos para voltar ao mesmo nível que tinha no Brasil e foi preciso muito, muito, muito sacrifício. Não me arrependo porque outras coisas maravilhosas aconteceram na minha vida neste período, mas do ponto de vista profissional não saberia dizer se foi um bom investimento. Provavelmente já estaria muito mais longe se tivesse continuado por lá.

    São coisas que a gente nunca vai saber, a vida é mais do que o trabalho, embora o trabalho também seja uma peça fundamental para a realização pessoal.

    A verdade é que não existe receita, cada história é uma história.

    abs,

    Babi

  3. Bárbara,

    Gosto muito de conversar, tb. Trocar idéias… saber como pensa o outro… como vê o outro… é uma das maravilhas do universo… prá mim 🙂
    Então… percebo que estamos na Itália vivendo experiências diferentes e isso é interessante de expor.
    Se deve vir à Itália (ou Europa) prá fazer diferente. Caso contrário se rala mesmo! Ou seja, sair do lugar comum de achar que só se vive bem em cidades grandes (Roma, MIlão, Florença…) já é um bom começo. Saber que INTERIOR na Itália não tem nada a ver com INTERIOR no Brasil onde falta tudo, infelizmente. Moro em Bondeno uma pequena cidade na região de Ferrara e temos uma boa Educação, Saúde e Segurança Pública e, ademais, se quero novidades pego um trem por 1,70 euro e vou a Ferrara, ou 3,60 e vou a Bologna! Recordo que há 03 anos atrás uma passagem de ônibus circular, ou seja, rodando pela cidade, ou melhor, uma parte dela (havia trechos sem bilhete integrado) custava R$ 2,00 em Joinville!! O aluguel de um apto de 02 quartos saia por R$ 700,00, numa baita rua barulhenta!!! E a gasolina custava R$ 2,70!! A escola de um filho R$ 800,00, do outro R$ 900,00, sem falar dos R$130,00 do curso de ingles e R$ 80 de violão!! Me lembro de um paciente meu que chegou eufórico com seu carro novo um corsinha comprado em 24 meses de R$600!!! Ele aqui custa por volta de euro 5.000… é de pasmar!!!!Mas, o pior de tudo vem agora:
    E EU VIVIA NESSA RODA LOUCA DE TRABALHAR, TRABALHAR MAIS SEM ME DAR CONTA. PARA TER MAIS QUALIDADE DE VIDA!!… prá mim e meus filhos. E olha que um salário de R$4.500,00 não é assim fácil, fácil de ganhar, né?

    Sabe, Bárbara, poderia ficar horas e horas explicando que é preciso VER e SENTIR na pele para compreender que estamos vivendo um grande “e inteligente” engodo, diga-se de passagem, no nosso Brasilzão querido. Ou nós adquirimos uma visão madura de que dinheiro ganhado honestamente deve ser muuuuuuuiito valorizado (como é o euro cuja gasolina é 1,50 e eles já estão se mordendo!) ou seremos, nós brasileiros, eternas cobaias risonhas e trabalhadoras dos poderosos do sistema capitalista que adoram o joguinho de “nos dar um papel chamado Real para nos ver jogando no lixo!
    Aliás, você deve saber que a FININVEST (aquela financiadora que cobra juros de arrancar o couro por um empréstimo) é de Bellusconi, né???

  4. É muito gostoso trocar idéias, quem sabe chegamos a alguma conclusão. Eu adoro refletir sobre as diferenças Brasil – Italia, sobre os estilos de vida e o melhor caminho para cada um. O que vejo neste momento é que o mundo está globalizado e os problemas também. Toda a correria que existe no Brasil começa a chegar aqui na Italia porque são os interesses dos grandes mercados que comandam e não apenas o da política.

    Isso significa que se uma empresa não dá os lucros esperados pelos acionistas, a empresa rapidamente escolhe um país mais barato, onde possa ganhar mais. E neste momento muitas empresas na Italia estão fechando as portas, o que significa gente perdendo emprego, trabalhadores aceitando condições de trabalho que jamais aceitariam 5 anos atrás.

    O que você falou é verdade, se vive bem também em cidades no interior da Italia, mas não é sempre que os preços nas cidades do interior são mais baixos do que nas cidades grandes. Pelo menos não na Toscana. A menos que se escolha uma cidade no meio do nada, a 1 hora de carro da civilização, os preços são bastante salgados.
    Bom saber que existe uma alternativa aí na Emilia Romagna, uma região italiana onde também vive-se muito bem.

    Talvez a correria e a vida maluca dependam da área em que se trabalha. Trabalhava no Brasil com comunicação, trabalho na Italia com comunicação. Para manter um bom padrão de vida, trabalho mais de 10 horas por dia. E a vida dos meus colegas não é muito diferente. Mas admito que fui eu que escolhi esse caminho, poderia ter optado por um outro trabalho mais tranquilo.

    Aliás, se um brasileiro recém chegado te pedisse dicas para encontrar um trabalho, o que você sugeriria? Qual o caminho das pedras?

  5. Interessante os dois pontos de vista. Gosto muito desse blog.
    Márcia – Teus comentários foram bastante esclarecedores, valeu mesmo!!!

    Acredito que uma das grande diferenças entre o Brasil e a Itália e a Europa como um todo está na desilgualdade social. Na Europa a miséria é rejeitada e junto com esse pensamento vem uma melhor distribuição da renda, como você mesma disse Barbara, um Phd, ganha parecido com quem não o é. As diferenças são menores.

    No Brasil, essa idéia louca que precisamos de trocentas certificações, graduação, 2ª graduação (escolhas), especializações, mestrados, MBA, MBC, doutorados, PHds, latu senso, strictu sensu, sei lá mais o que está ficando uma loucura, hoje mesmo navegando pelo linked in verá trocentas discussões sobre isso.

    De que adianta vir o Ministro do Planejamento brasileiro, o Sr. Guido Mantega, encher a boca para anunciar que o Brasil é a sexta ou sétima economia do mundo se nós ainda possuimos traços marcantes de miséria, falta de assitência digna a saúde, falta de vagas nas universidades públicas, ensino médio público pífio, onde cidades do interior e bairros periféricos são verdadeiros retratos do descaso – principalmente nas regiões fora do eixo Rio-São Paulo, aí o buraco é muito mais em baixo.

    Estou indo par Itália este ano, como ainda não sou fluente no italiano sei que vou realizar trabalhos fora da minha área, talvez como garçom, barman, vendedor de loja, enfim. Não vejo problemas, contanto que consiga me manter.

    Estou colhendo informações de diversos blogs, e tenho uma opnião: è interessante falarmos de trabalho, finanças e custo de vida de determinadas cidades da Itália, mas o que eu mais sinto falta são informações mais precisas, sei que leva tempo, mas é isso que sinto falta.

    Vamos lembrar quando falamos de custo de vida, a relatividade é fudamental para o estilo de vida de cada pessoa e sua bagagem, se eu falar para a Dna. Jo, secretária do lar aqui de casa, que comprei uma calça de R$100 ela vai achar que foi um absurdo, mas para um amigo empresário ele vai achar que foi uma pechincha.

    Quanto mais informações precisas colocarmos, melhor será pra quem navega em busca.

    Encontrei informações genéricas de quanto se ganha no mínimo em Bologna, de 900 a 1000 euros, estando legalizado.

    Morar em Bologna em um monolocale tipo um kitnet varias de 500 a 650 euros, considerando os mais em conta, em Imola, que fica próximo de Bologna 30 a 45 min, esse valor cai, de 350 a 450 euros, o que para 1 casal ou uma pessoa solteira pode ser o suficiente.

    Não falei nada sobre os salários e os trabalhos pq realmente não sei, gostaria que outros colocassem suas experiências.

    Valeu e parabéns pelo trabalho Barbara.

    Bacci a tutti.

  6. Oi Danilo,
    Se a gente for falar de trabalho dentro da lei, a maior parte das profissões está ligada a um tipo de sindicato e tem um piso mínimo. Teoricamente não se pode ganhar menos do que aquele valor e por isso, muitas vezes os italianos preferem omitir a discussão de salário em uma entrevista de trabalho, afinal o trabalhador sabe que vai ganhar aquele valor do sindicato.
    Se você está curioso, procure na internet por CCNL (Contratto Colletivo Nazionale di Lavoro) relacionado ao setor (es. Turismo, Commercio, Metalmeccanici). Dentro de cada profissão existem os diferentes níveis (livello). No entanto, de modo geral, os salários variam entre 900 e 1300, tem quem ganhe um pouco mais ou menos, mas também pode variar de acordo com a quantidade de horas por semana.
    O fato é que hoje em dia, sempre que possível, as empresas optam por contratos de prestação de serviços invés desses contratos nacionais do trabalho e aí o piso mínimo é uma referência. Podem até te pagar aquele valor, mas sem todos os benefícios típicos da Italia do passado como férias pagas, 13 e 14 salários, indenização por doença ou gravidez.

    Quando digo que as coisas aqui não são flores é porque neste momento o sonho dourado e tranquilo da Italia de meros 5 anos atrás não existe mais e onde ainda existe pode ser que não dure. Aí entra o dilema: você não tem mais os mesmos benefícios e ao mesmo tempo não tem a mesma facilidade de ascensão profissional. É como viver o pior lado dos dois países.

    Sobre o preço dos aluguéis, você faz muito bem em procurar os classificados, mas use como base o preço médio e não o preço mais barato. Pelo menos aqui em Firenze os preços mais baratos são verdadeiros buracos, tipo um porão úmido que foi transformado em “monolocale” para estrangeiro. Talvez em outras cidades seja diferente, mas em Florença é assim.

    Seja bem vindo a discussão e espero que outras pessoas possam colaborar com diferentes ponto de vista e experiências pessoais.

    Um abraço,

    Barbara

  7. Opa!!! Muito boas informações Barbara.

    Valeu pela dica, pesquisarei por esse caminho CCNL.
    Reconheço suas palavras qdo fala sobre a crise da Itália, tenho visto isso mesmo por ai.

    Sobre alugueis, realmente é importante pesquisar por preços médios, já vi esses buracos pelos classificados, tão umidos que pela foto que suei rs, mas o grande lance mesmo é pesquisar de acordo com cada cidade.

    Atualmente estou procurando uma recolocação no Brasil, a Itália seria o plano B, mas estou atuando nos dois planos concomitantemente, até o momento em que o plano A demore demasiadamente.

    Valeu pelas dicas.

    Um abraço

  8. Oi,

    Resolvi escrever so para acrescentar um pouco mais de informoçao, ja que a minha vida e o meu trabalho sao bem diferentes da maioria das pessoas.

    Sou artista circense a animadora de crianças. A animaçao é o meu carro-chefe, ja que nunca trabalhei em circos, mas faço espetaculos para empresas, aniversarios, praças, hoteis, etc.

    No Brasil, ja era artista. Me formei na Escola de Circo no Rio de Janeiro e nunca consegui me sustentar la com a minha profissao. Tenho uma familia de classe media e tive a oportunidade de começar uma faculdade, mas nao era o que eu queria e acabei largando. Minhas irmas sao formadas, uma é medica e se passei pelas dificuldades que passei, foi por uma escolha pessoal. Pra nunca dizer que nunca me mantive no Brasil com animaçao, consegui morar um ano em Santos, dividindo o apartamento com uma amiga, fazendo principalmente festa de aniversario. Mas a vida era muito dura e varias vezes tive que recorrer à ajuda dos meus pais. Ja no Rio, encarei lojas, discotecas e restaurantes, coisa que os meus amigos achavam muito estranho, uma menina de classe media trabalhando como garçonete.

    Inclusive, essa é uma das coisas que gosto na Europa. Nao existe preconceito com as profissoes.

    As primeiras vezes que vim para a Europa, foram flores! Porque eu dei a sorte de conhecer um empresaria no Brasil que trazia artistas para a Alemanha e para a Italia, so para a temporada (de março a outubro), para trabalhar em parques de diversao.

    Vim com passagem de ida e volta pagas, dormitorio, almoço, janta e 3 milhoes da velha lira por mes, que era um fortuna!

    Entao chegou o ano de 2002 e a empresaria nao tinha uma vaga pra mim. Resolvi arriscar junto com um amigo e com um dinheirinho contado no bolso, fomos para a Noruega, com visto de turista.

    Foi um aperto! A Noruega é muito cara, ninguem te da trabalho no negro, so para lavar pratos, coisa que nao aceitei. Foi quando aprendi a trabalhar como artista de rua. Bem, dava para me sustentar, mas o visto acabou e tive que cair fora. Fui parar em Londres, continuei a trabalhar como artista de rua e comecei a estudar. Com o visto de estudante, fiquei 1 ano e oito meses em Londres e vivia bem.

    Foi quando me chamaram para voltar para o parque na Italia. Em 2004 voltei, conheci meu marido, que é russo e resolvi ficar. Bom, ai ja nao foi tao facil…

    Voltei para o Brasil e ficamos 4 meses longe, mas o meu visto de trabalho tinha acabado e eu nao podia ficar aqui. Consegui pegar a minha cidadania portuguesa e vim na cara e na coragem e com 600 euros no bolso. Claro, sabia que teria alguns apoios (e a carta de credito do meu pai no bolso, para qualquer emergencia, que felizemente, nunca precisei usar). Fiquei um mes e meio na casa de amigos, até conseguir um bilocale, no negro, por 500 euros, com agua, gas e eletricidade inclusos. Um bilocale é um apartamento de quarto e sala. Era pequeno, mas novinho e no meio do campo.
    Voltei a trabalhar no parque, mas nao como artista. Apertava botao pra roda gigante rodar. Ganhava 950 euros, Meu marido ganhava 516 euros, no mesmo parque, como marcineiro, porque era estrangeiro explorado, mas nao podia mudar de emprego por causa do visto.

    O primeiro ano foi dificil, mas nunca nos faltou nada. Descobrimos que o italiano de maneira geral, tambem desperdiça muito dinheiro. Gastam 50 euros, pelo menos, por pessoa, numa noitada. E outras coisas.

    Bem, nos vivemos apertados, mas vivemos. Nao compravamos carne todo dia, mas sempre tinhamos comida. Nao tinhamos carro, mas duas bicicletas. Um sufoco, porque nao passava onibus na minha casa. Depois de 6 meses compramos um carrinho velho. O parque fechou para o inverno e eu comecei fui trabalhar num bar, numa fabrica (argh! nao recomendo a ninguem! Saia chorando de casa pro trabalho) e finalmente num Autogrill (um restaurante de estrada, tipo Graal).

    Fiquei 4 meses no Autogrill e ganhava 1100 euros. Mas fazia turnos, Manha, tarde, noite, feriados. Foi quando voltei a trabalhar como artista. Comecei a fazer umas festinhas de aniversario, comprei um som de qualidade, meu marido fez um site pra mim e fui crescendo.

    Nesse meio tempo, casamos e meu marido pode se livrar da “escravidao” do parque. No inicio trabalou no posto de gasolina, mas logo achou um emprego com marcineiro, ganhando 1800 euros! Sim, mas quase tudo no negro, so 450 em contra-cheque.

    Digo essas coisas para mostrar que muitas coisas erradas e por baixo dos panos tambem acontecem por aqui.

    Hoje trabalhamos os dois com animaçoes, compramos o nosso apartamento (quer dizer, arrumamos uma divida de 30 anos, 780 euros por mes), ja trocamos de carro duas vezes, podemos comprar uma pizza ou ir ao Mc Donald’s sem contar dinheiro (no primeiro ano, faziamos isso so uma vez por mes, hoje, comemos pelo menos 4 vezes por semana na rua).

    Continuo a ser uma pessoa economica. Nao tenho Sky, nao gosto de ir à restaurantes caros (ontem comi bem em uma “rosticeria” e gastamos 13 euros em duas pessoas).

    Tenho um nivel de vida, que seria dificil de arrumar no Brasil. Moro à 10 km de Ravenna, numa mini-cidade. Mas vou a Ravenna sempre. Tenho banco, correios, medica, padaria, ferramentas, pizzaria e um mercado na minha cidade. Mas o mercado daqui é meio carinho e prefiro ir à Ravenna, comprar no Liddl, no Eurospin ou na Coop, que sao mais baratos.

    Se uma pessoa souber nao gastar com besteira, vive bem. Gosto da segurança e da tranquilidade. Quando morava no Rio, pensava que nunca me acostumaria com cidade pequena, hoje nao quero voltar a morar em cidade grande.

    Nossa, escrevi um livro! So para concluir e para ter ligar o argumento ao artigo, digo que ano passado eu e meu marido juntos ganhamos 32 mil euros neto no ano. Se voces fizerem as contas, da uma media de 1300 euros por mes pra cada um. Nao é muito. E como é que a gente consegue viver bem? Fazendo escolhas. Ir ao Brasil todo ano, é um luxo, ir ao Brasil a cada tres anos, é uma necessidade!

    Acho que para vir pra ca aceitando qualquer emprego, depende da profissao e das oportunidades de cada um. Eu nao teria vindo, se nao fosse por amor! Mas acabei trabalhando em outros setores, sofri um pouco por nao gostar do trabalho, mas isso me deu força pra voltar a fazer o que gosto. E depois, pensando bem, se no Brasil eu ja era obrigada a trabalhar de garçonete para me sustentar, porque nao aqui? Nao vejo a minha irma medica, nem a minha irma bancaria largando tudo pra vir pra ca, mas se uma pessoa esta com dificuldade de achar emprego no Brasil na sua area, entao acho que vale a pena arriscar aqui.

    Na verdade, ja estou um pouco cansada da Italia e dos italianos, queria voltar pro Brasil de vez, mas tenho medo de arriscar, de perder o nivel de vida que tenho aqui.

    Abraços,

    Débora.

  9. Débora,
    Seja bem vinda aqui no site e obrigada por dividir informações tão completas com a gente. Tenho certeza que ajudará outras pessoas a descobrir novas oportunidades ou refletir sobre o que realmente desejam.
    Fico contente em saber que as coisas estão se acertando para você. Dei uma olhada agora no site e ele é bem feitinho. Só falta uma coisa: social media. Se posso te dar um conselho, crie uma página no Facebook (fan page) e uma conta twitter, pode ajudar a encontrar vários outros clientes.
    Não sei se depois de vários anos de Italia vale a pena voltar ao Brasil. A verdade é que gente batalhadora e guerreira acaba sempre conquistando seus sonhos, em qualquer lugar do mundo. O único porém é que uma vida na batalha é sempre também muito cansativa e recomeçar não é simples. Ou não. Não tenho respostas definitivas. Mudo bastante de idéia e neste momento aceito os presentes que a vida colocou no meu caminho. Bom ver você por aqui. Até a próxima. abs, Barbara

  10. Danilo,
    Às vezes a vida se encarrega de nos dar a resposta certa. Basta estar aberto as oportunidades e saber escutar. 🙂
    Boa sorte para você. Qualquer coisa, o trabalho na Italia está aqui para ajudar.
    abs,
    barbara

  11. Eu tenho um facebook da Pagliaccia Mimì, a minha personagem. So nao coloquei o contato no site ainda… Twitter nao tenho vontade de ter. Se for pra controlar outra pagina na internet, vai ser no linkedin, mas tambem nao tenho paciencia. Ja fico muito tempo na frente do computador…
    🙂
    Essa semana estou trabalhando pacas! Se der tiver um tempinho, da uma olhada nas minhas fotos do facebook.
    Abraços.

  12. Ótimo post pessoal, e comentários muito bem redigidos…

    É importante encontrar essas informaçoes para ajudar nas escolhas a serem feitas…

    Eu estou atualmente na Espanha, aqui a coisa esta complicada…

    Quanto a aceitar qualquer trabalho, todos devem conhecer seu limite, e o que pode suportar…

    Eu no momento busco alguma coisa para iniciar um ciclo aqui na Europa, independente do país…

    Creio que aparti disso, novas coisas podem aparecer, e se eu me dedicar no que estiver envolvido, cada vez coisas melhores surgirao.

    É o que todos esperamos…

    Bom, é sempre bom trocar idéias com conterraneos, e se alguém souber de alguma barca, eu estou disposto a embarcar,haha

    abraços

  13. Oi!! Voltei… hehehe!!

    Estive meio ocupadinha, mas agora dei uma amenizada e como adoooro conversar, cá estou eu Bárbara!

    Então… adorei a Débora…sua força baseada no amor!! É isso ai garota!! Tb comecei com animação de festas, tinha uma micro-empresa de eventos infantis e amavaaa trabalhar, mas os encargos todo mes me sufocaram, daí passei a fazer aniversários e teatro, pq sou, além de psícologa, escritora de literatura infantil. E trabalho aqui na Itália com teatro e contação de minhas histórias, entre outras coisas, pois sou pintora e estou preparando minha primeira mostra!!!
    Mas, ninguém nunca disse que seria tudo flores, em lugar nenhum! Mas ai é que é o bom da vida… desafios!!! E prá abrir meu espaço é e foi preciso muita perspicácia… ou seja… enxergar o que os outros não enxergam!
    Vamos nos encontrar, Débora e trocar figurinhas, pois estou preparando um teatro sobre Anita Garibaldi só com brasileiras e to começando a formar o grupo. Me liga: 3420612751. Meu blog é: meucantodeliberdade.blogspot.it, dá uma passadinha lá tb!

    Daniloooo!!! Vem sim… vem passar pela experiência que te ajudará muito futuramente. Concordo com a Bárbara quando diz que “pegaremos o lado ruim dos dois países”, mas nós brasileiros temos uma “vantagem”, se podemos chamar assim, que é a de viver eternamente na “pior”, o que nos tornou alternativos, muito “adaptáveis”, coisa que os italianos em geral não são. Eles simplesmente desmontam se faltar dinheiro pro vinho, por exemplo, ou se precisar pedir ajuda ao vizinho… Prá nós brasileiros?? Fichinha…
    Quanto a apê em Bologna procure brasileiros que morem lá… o negócio é fuçar!! Uma amiga nossa de 26 anos está em Milão morando de graça num kitnet desocupado de um casal italiano que não queriam pagar as despesas (gás, principalmente) pq moram em outro apê!!
    A prima de meu marido está com uma casa fechada de sua mãe que morreu há um ano! Uma família amiga minha vem passar um mes aqui conosco e ficará lá, simplesmente! E assim tem” vários casos de casas boas e vazias”, pq aqui eles não tem a nossa cultura de se desfazer facilmente dos imóveis herdados… é uma questão de sentimento, sei lá… ainda que gastem! Aqui no meu condominio tem tb… os pais faleceram e a filha casada vem só prá limpar, cuidar do jardim e pagar o gás!!!
    Te aconselho a procurar por esses meios tb, além de classificados… O boca a boca é muito eficiente! Vai com fé, garoto! Ou melhor, vem com fé, garoto! Compreenderás coisas que jamais compreenderias vivendo apenas no Brasil e viajando só de férias que NÃO É A MESMA COISA DE VIVER FORA POR UM TEMPO!!
    E, prá terminar, precisando de uma ajudinha, estamos aqui, ok? Afinal somos natural de um país ímpar em calor humano!! Passa tb no meu blog e deixa um recadinho!

    Bárbara, brigadão pelo espaço de discussão…
    Respondendo a tua pergunta “sobre o que sugeriria prá arranjar emprego aqui”, a resposta é:
    Perca o orgulho, ou seja, esqueça QUEM VOCÊ É e venha determinado a um recomeço! Não um recomeço dos que “aparentemente perderam”, mas um recomeço de quem sabe que começou errado… se enchendo de diplomas, certificados, especializações… mas sem saber verdadeiramente o valor de tudo isso. Aqui, a turma tem o equivalente ao nosso 2º grau e se dão valor… se sentem gente! Sou colega de teatro de um carteiro!! mas o cara tem uma cultura (de Hamlet prá cima!) que bota no bolso muito de nossos MBA.
    E no Brasil? Alguém já viu um carteiro fazendo teatro lá???

    Abração apertado da nordestina aqui!!

  14. Oi Márcia, tudo bem?

    Seja bem vinda novamente. Que bom que você não se esqueceu da gente e vem aqui contagiar a gente com a sua energia positiva.
    Acabei de passar lá no seu blog e gostei muito do documento que você publicou sobre os eventos relativos a Italia no Brasil. Nossa, tem muita coisa mesmo! Às vezes a gente pensa que as coisas acontecem por “acaso” e foi tudo programado com antecedência. Interessante.

    Fico contente também em saber que o site é útil e que ajuda a encontrar pessoas e trocar figurinhas. Significa que está dando certo. 🙂

    Poxa, eu não dei essa sorte de encontrar quem me dê casa grátis em troca de pagar a conta de luz. Aqui em Florença acho que dificilmente uma coisa dessas aconteceria, a menos que você seja parte da família, porque aqui é super fácil alugar uma casa e ter uma boa renda dela.

    Sobre a escola, você tem razão: não dá para comparar a escola pública de base italiana com a brasileira. Quer dizer, neste atual momento, o governo italiano está cortando toda a verba para a educação e não sei o que sobrará da escola pública de qualidade daqui a 10 anos, mas neste momento podemos dizer que supera – e muito – a escola pública brasileira.

    Eu conheci Ferrara a uns anos atrás, é muito bonita, me lembro do Palazzo dei Diamanti. É realmente uma cidadezinha muito charmosa. Aliás, me veio uma idéia: você quer escrever sobre Ferrara para o http://www.brasilnaitalia.net ? Lá no site tem uma seção “Apresente a Sua Cidade”, onde os brasileiros falam das cidades onde moram na Italia. Eu ia adorar ler as suas dicas. (Leia aqui alguns artigos já publicados: http://www.brasilnaitalia.net/search/label/Apresente%20a%20sua%20cidade ). Falaram sobre Torino, Bergamo, Milão… mas está faltando uma cidade charmosa como a sua.

    Até mais! 🙂

  15. Alguém saberia me dizer, por favor, se eu consiguiria exercer a minha profissão na Itália. Sou publicitário, e trabalho há alguns anos com marketing e comunicações, em empresas multinacionais e em agências de propaganda (on e offline). Tenho a dupla cidadania, mas estou apenas começando a aprender a falar italiano (embora já fale inglês). Muito obrigado.

  16. seila…eu queri ir para Italia mas, tenho minhas dúvidas…enfrento qualquer trabalho respeitando meus limites e os limites da racionalidade. Quero dizer que não farei trabalho escravo e nem memhimilhar por alguns miseroa euros…!!! é muito relativo.

  17. …ja estive em portugal e não me dei bem…entendo que estava sem visto para qualquer coisa mas, mesmo assim vc não tem direitos, nem mesmo os humanos.
    por favor não é uma idéia negativa ou pessimista. Tenho idéia de tentar minha cidadania italiana pois, meus bisvós paternos eram italianos mas, o tempo de espera é muito desanimador. Pelo que já pesquisei eles eram de campania, possivelmente de uma comuna chamada San Bartolomeu in galdo…alguem conhece???…presciso da certidão de nascimento, casamento ou de óbto para a comprovação.
    Em portugal desenvolvi trabalhos relacionados a jardinagem, pintura, mecãnica de bicicletas e motos, eletrecista de residencia, enfim, trabalhos que normalmente não fazem. Tem tambem a questão de que portugal é um pais de população envelhecida e não tem mais destresas para exercer certos trabalhos e então pagam para alguem fazer e ai é que entra os brasucas…rsssss…massa…até trabalho de pedreiro fiz no pais que se come carapaus e sardinha na gralha…muito bom….

  18. …meu e-mail é asl_977@hotmai.com..me ajudem se souberem de alguma coisa a respeito da familia PEPE…que era o sobrenome de meu finado bisvô o micheli PEPE…ahhh!!!…só tenho esse email por enquanto e comuniquem por favor…ou pelo orkut que estou como LIMAROCKSOUL…me add tbem…beijos a todos e fiquem com DEUS.

  19. Gostei muito das discussoes e do site parabens! e queria expor aqui a minha realidade me casei em 2005 com italiano e moravamos em Sao Paulo, ele trabalhando para sua empresa no Brasil e eu trabalhando na minha area, ele recebeu a proposta de voltar a trabalhar na Italia, onde nos aceitamos e fomos ja que seu salario era otimo e eu sem me preocupar “me arranjaria” claroooo… sou formada tenho 2 pos e cursos em instituiçoes renomadas no Brasil, trabalhava para uma empresa multinacional onde nova comecei com cargo normalissimo e quando sai tinha cargo de confiança e um salario bem acima da media… quem nao ia me querer na Italia? Ai fomos, o salario do meu marido permite que eu nao trabalhe mas como nunca fui habituada, queria pro meu curriculum a “experiencia no exterior” nele. ai que entendo bem quando ela diz de satisfaçao profissional, o meu “renome” la aqui nao valeu muito,aqui ninguem conhecia as instituiçoes q estudei e pra eles vc è so uma estrangeira e recebi propostas pra trabalhar em lojas como vendedora… nessa altura da minha carreira eu vou dar um passo atras? pois è como ela disse, eu tive que engolir meu orgulho ( que tenho q dizer q nao è facil) e quando uma grande empresa me ligou pq ja q era fazer uma coisa assim q fosse em uma empresa importante eu aceitei, ali eu comecei a viver a realidade do trabalhador, vale transporte? assitencia medica? participaçao nos lucros? comissoes? viraram coisa do passado ah o tao sonhado fim de semana fica pra proxima pq trabalho por escala.Nesse tempo virei responsavel do negocio, e me deu um aumento de quase 200 euros nossa!!!! pensei q começando de baixo poderia chegar nas cabeças mas a porta è fechada e dali vc nao passa, sabe gente eu trabalho pq gosto de trabalhar, nao è a minha area…vc escuta muita coisa, algumas pessoas acham voce uma coitada ou coisas assim e vc sabendo q mesmo a fulaninha imbecil q nem falar a propria lingua fala nascesse denovo ela nao teria uma carreira como eu tive.Matenho meus contatos no Brasil e se tudo der certo voltaremos em 2012 e espero q essa experiencia tenha me valido e me traga resultados no Brasil e aqui eu vou levando.

  20. Márcia
    Muito prazer. Tenho 30 anos, filha de Italianos e estou na fila para cidadania. Moro em uma cidade a 90 km de S.P com minha mãe, minha dependente. Sou psicóloga trabalho em agência de empregos e muito infeliz profissionalmente, não gosto do que faço e minha remuneração são 2 salários mínimos. Pago aluguel, carro e todas as contas da casa, mas não está dando mais, estou entrando em dívidas. Tenho pensado em tentar a vida sozinha em Milão, onde através de pesquisas descobri ser a capital financeira da Itália. Não penso em procurar nada em minha área, concordo com tudo que foi dito no blog a respeito. Gosto muito de moda, poderia trabalhar facilmente como vendedora, até mesmo em produção, pois sou boa com trabalhos artesanais, o importante é me manter. Após um ano levaria minha mãe, pois me informei no patronato e após 65 anos se ela residir na Itália tem direito a aposentadoria, que me parece que é no mínimo 500 euros. Me parece um bom negócio. O que me diz? Será que estou iludida? bjs

  21. Olá!

    Achei bem interessante e válida a discussão. Acredito que esse post tem tudo com o que estou passando no momento. Moro em Cecina, no interior da Toscana (a cidade é a tipica de litoral, lota e os alugueis altissimos por agora). Enfim, sou formado no Brasil e trabalhava em uma agencia de fomento as exportações. Agora, na Itália nao estou com tempo para buscar um emprego na minha area e estou em busca de camariere ou barista, pois preciso pagar aluguel e outras despesas. Atualmente, penso em sair daqui e me arriscar em Roma ou Londres, infelizmente tenho notado que a Italia nao é um país aberto aos jovens, eu falo isso porque tenho 22 anos e está mt dificil uma vaguinha! hehhe…
    Abraços a todos!

  22. Olá,
    Achei esse site e achei muito interessante sou descendente de italianos por mae e pai, so nao tirei cidadania ainda,tive por diversas vezes pra ir estudar ai e nao fui. Falo um pouco de italiano pois ja estudei por alguns anos, perdi por falta de prática mas ouçoo muita musica amo mesmo essa língua e esse país e falo Ingles Fluetnte. Hoje estou com muita vontade de ir pra TRABALHAR e estudar no tempo que der.. SOu formada em Administração e COmércio Exterior, trabalho em uma Grande empresa no Brasil mas estou afimd e ir atras doq ue sempre sonhei em morar na Itália, mas queria trabalhar…. Vocês tem alguma dica pra me dar de sites algo que aceitem contrar brasileiros?? tenho grande experiência em exportações, navegação(shipping) e logística e área de P&O. Vocês que já estão ai tem alguma dica a me dar?? devo passar 20 dias de ferias ai, queria aproveitar e ver algo, pois estou afim de largar o meu emprego aqui que é uma OTIMA empresa mas não está compensando, tenho 30 anos e nada me prende aqui…. Por favor se alguém puder me dar uma luz para começar a procurar ou alguém aqui nesse site que possa indicar alguma empresa.
    Obrigada a todos.
    Grazie (lucianabgroppo@hotmail.com)

  23. @Guilherme,

    Você mora aqui na Toscana de frente pra praia? Beato te. 🙂
    Bem, na verdade não é uma questão da Italia ser aberta a jovens, é uma questão de crise mesmo. Quando eu escrevo, ninguém acredita…
    Certamente Cecina é uma cidade muito pequenininha e com um mercado de trabalho voltado ao turismo. Você pode procurar um Centro per l’Impiego mais próximo para ver se arruma uma vaga. E fique ligado nas dicas por aqui, sempre que sei de uma dica legal publico aqui.
    abs

  24. @Luciana
    Eu conheço bem essa história do nada que me prenda. Na verdade depois de um tempo no exterior você vai ver como é difícil viver longe da sua família, dos seus pais, avós e pessoas mais próximas. Antes de sair por aí, eu recomendaria que você pensasse com mais calma porque a vida no exterior é um pouco mais difícil daquilo que parece, mesmo que as coisas dêem certo.
    Você pode começar a sua pesquisa com o Google, escreve “azienda esportazione” eventualmente adicione “Italia” e é o primeiro passo.
    abs
    Barbara

  25. Otimas informcoes…
    Eu nao aconcelho nigum vir pra ca,
    aqui nao tem emprgo pros qu estao aqui
    O custo de vida e altissimo
    e sem documento viver aqui e impossivel
    O brasil creio q esteje melhor

  26. Bom achei bem interessante esse site… eu pretendo ir a Milao em novembro, se tudo der certo, meu noivo é italiano, ele é militar, nao sei exatamente quanto ele ganha, mas creio que seja um salario que de para se viver bem…
    Pretendo procurar um emprego, enquanto fico por lá, pretendo ficar 3 meses e dependendo da situaçao fico mais 3 meses…
    Porem só falo portugues mesmo, gostaria de saber se é dificil arrumar emprego ou nao… mesmo que seja de baba, de faxineira, de manicure sei lá, só pra nao ficar parada mesmo… e qual o salario médio né rsrs

  27. Adorei seus sites Bárbara. Minha vista está doendo de tanto que li.
    A minha situação é parecida com a da Ana Paula.
    Meu noivi,disse que o governo(estado) ajuda estrangeiros a arrumarem trabalho por 6 meses,(ele mora em Giaveno) e que paga mais ou menos 600 euros,isso é verdade? Ele disse que ganha bem e que dá para me sustentar até eu conseguir trabalho,mas eu pergunto, com 600 euros dá para viver bem? Uma vez que não terei gastos com aluguel…
    Não falo nada de italiano,estou fazendo esses cursos online gratuitos,não tenho muita experiência profissional aqui,portanto, aceitarei qualquer coisa,aí. É dificil conseguir cursos gratuitos do idionma ou de outras áreas?
    Grata, Flávia!

  28. Meu nome é Adriano sou casado e tenho um filho de 3 anos e gostaria de saber, quero ir para a italia em março de 2012 mas não conheço ninguem na italia nem tenho onde ficar, vou eu e meu irmão e vamos meter a cara e se virar. Só vamos com dinheiro pro hotel e são apenas seis dias nem passagem de volta temos.Só vou levar a coragem e a força de vontade, o que vcs me aconselham ? Muito obrigado.

  29. Se vc é filha de italianos, nao precisa ficar na fila da cidadania (pra fazer pela italia) filhos de italianos nao enfrentem filas para legalizar os documentos.

  30. Olá pessoal,
    Estou planejando fazer intercambio na Italia a partir de janeiro de 2012 pra aprender a lingua e me preparar para um curso de marketing esportivo que começa em setembro do ano que vem em Veneza.
    Minha preocupação é se eu consigo arrumar um emprego ou algum estagio para ajuadar com as despesa basicas. Algue tem alguma sugestão ou conselho para me dar? Agradeço!!!

  31. Quando estive na Itália (agosto a novembro de 2011) tive a oportunidade de conhecer brasileiros corajosos e esperançosos que estavam ilegais no país. Conheci algo da realidade de Milão e província. Também pude presenciar a crise que a Bárbara comenta. Quem ainda está por lá me diz que está piorando. Trabalho com limpeza doméstica, cuidador de idoso, entre outros está cada vez mais difícil naquela região da bota.

    Fui para reconhecer minha cidadania. Resolvi voltar depois de três meses justamente por perceber que sem objetivo não seria nada fácil permanecer por lá, enfrentar o inverno, as diferenças culturais e de sociabilização, dificuldades financeiras. Todo começo tem suas dificuldades, a não ser que já esteja de mãos dadas com a sorte. MInha vontade de aventura não foi maior que meu medo. risos. 5 meses depois do meu retorno, minha cidadania foi reconhecida. Parabéns a Barbara pelo site e a todos que participam para fazer desse espaço um farol na escuridão risos.

    Ademir, é possível que eu possa te ajudar com alguma coisa. Entrarei em contato.

    Adriano, se você realmente quer tentar é importante pesquisar bastante e tomar os cuidados necessários. Se não fizer dessa maneira, poderá correr riscos desnecessários, como por exemplo ser barrado na imigração. Uma pessoa sem passagem de volta, que não sabe onde vai ficar, o que vai fazer no país pode ser considerado suspeito. Se o vôo tiver escala na Espanha, França e Portugal, os riscos são maiores.Se informe, é muito melhor do que perder seu investimento financeiro, tempo, expectativa e ter que passar pela humilhação e desrespeito da deportação.

    Para quem quer dinheiro, a oportunidade de visitar outros países e conviver com culturas diferentes um trabalho em navio de cruzeiro pode ser uma boa opção (nesse momento). Enfim, as vezes nem é preciso ir tão longe, o desconhecido pode passar bem pertinho. Saber o que se quer, se informar, usar todos os sentidos faz toda a diferença no trajeto – da partida até a chegada – até mesmo para quem quer perder-se/encontrar-se numa boa aventura.

  32. Oi, desculpe talvez mudar de assunto, preciso tira uma dúvida. Gostaria de encontrar trabalho como Ourives (Fabricação e conserto de jóias) aqui no Brasil sou Ourives. alguém sabe me falar sobre essa profissão na Itália, de preferência em Milão, Monza… essas regiões? desde já, Obrigado Pessoal.

  33. Nossa você me ajudou e tirou a minha preocupação com relação a isso. Eu vou trabalhar 2 anos fora do Brasil onde não terei gastos e assim, conseguirei juntar um dinheiro para morar pelo menos 1 ano na Itália onde eu quero aprender o Italiano e além disso fazer a faculdade de moda…

  34. Este site é excepcional…

    Fui à Itália em Agosto/2012 e só me deixou mais apaixonado pela velha Bota e com mais desejo de me mudar pra lá. Sou formado em Direito, advogado, e sei que ter minha profissão reconhecida lá é muito difícil, fora que se conseguir, advogar será muito difícil.
    Desta forma, estou disposto a fazer curso fora da minha área para ter facilidade com emprego na Itália. Alguém que more na Itália poderia me orientar quais profissões estão em falta ou que eu consiga emprego de forma mais rápida e fácil? Tenho idioma italiano intermediário e sou cidadão italiano.
    Obrigado.

  35. Gostei do ponto vista da Marcia!! Estava preocupada com tamanho “realismo” da Barbara, estava ficando com medo da Europa!

  36. OI Alessandra,
    Não precisa ter medo da Europa. 🙂
    Se quiser vir, se prepare.
    Mudar para sofrer é bobagem, se você se preparar, sofrerá menos.
    Abs
    Barbara

  37. Ola barbara tudo bem
    a muito tempo queria realizar o sonho de ter uma experiencia
    no exterior mas devido ao trabalho aqui no brasil excessivo e estudos, nao pude me programar quando faria isso , ate que me ocorreu um caso q considero favoravel, pois trabalhava em duas empresas com registro na carteira,
    e consiguir sair das duas empresas ao mesmo tempo ou seja as empresas acertando tudo comigo direitinho
    vo ter uma grana que sempre quis usa-la pra esse sonho…devo pegar em media uns 8 a 10 mil , acha com esse valor consigo ficar la um tempo ? sem contar que vo da entrada no seguro desemprego vou pegar em media de 4 parcelas de 890 reais pra ver se arrumo trampo,outra coisa eh que tem uma amiga que tem parentes e la e ela ta indo tbm para ficar um ano estudando, e tia dela onde ficar ai na italia disse que eu poderia ir com ela sem problemas,entao lugar para ficar ja tenho,gostaria de saber oq é mais interessante eu ja tentar o visto de trabalho aqui do brasil ou ir pra la com os 3 meses de turista e tentar por la mesmo… pretendo ficar la por uns tempo
    estudar e trabalhar,aqui no brasil sempre tive constume de freelancers em varias areas entao provavelmente
    as como garçon,segurança,atendente de bares,entregador de pizza,etc nao vou ter problema em exercer
    mas minha intenção mesmo eh consiguir um trabalho para pelo menos conseguir pagar as despesas
    e sobrar uma grana para fazer alguns cursos isolados para agregar no meu curriculo e claro q experiencia de morar em um outro pais que é o que eu sempre quis….acho q italia pelo fato de ter pessoas que conheço e posso ficar em sua residencia…quais complicações posso ter para conseguir entrar na italia,no meu caso q nao estou matriculado em nenhuma faculdade e nenhum emprego acha q isso pode dificultar a entrada na italia? peço desculpas
    pelas varias perguntas mais preciso de ideias de pessoas que ja tem experiencia e vivem no pais
    em relação a emprego como esta esse de 2013 ta melhor que o ano passado ?

  38. Ciao Barbara!

    Gostei muito do seu site, parabéns!!

    Eu li o seu post e apenas o comentário da Márcia Rocha.
    Num outro post sobre a crise eu disse exatamente o que a Márcia falou. A qualidade vida ai, mesmo ganhando menos, é muito melhor que aqui do Brasil, o país da “vez’ como muitos dizem.

    Como tinha falado, mesmo morando por 6 meses no norte, numa província de Milano, senti isso. E não é apenas com coisas que aqui é luxo e ai faz parte do cotidiano, como roupas e alimentos mais baratos, mas ai eu tinha segurança e serviços públicos, muito melhores que os brasileiros possuem aqui. Claro que com a crise, como vc mesmo disse, essa decadência econômica da Itália tem feito muitos estragos ai.

    Você citou o alugou, e sei que varia de cidade para cidade. Mas onde eu morava, em Parabiago (MI), pagava 300,00 Euro de aluguel por um quarto e de alimentação e internet, transporte uns 100,00 Euro. Bom, eu tb não saia muito, eu tinha um cuidado, mesmo assim viajei algumas vezes. Isso foi em 2011.

    Quais são as profissões ai que, mesmo com a crise estão em alta, se é que existem? Dizem, que padeiro, cabeleireiro, encanador, marceneiro são profissões ainda em alta. É verdade?

  39. Olá Barbara e todo pessoal que expressaram suas opiniões e experiencias.
    Caramba… quanta informação!
    esse site foi um “achado” pra mim, apesar da Barbara botar medo em quem quer ir pra Itália. Mas acho que entendi a preocupação dela, NÃO VÁ DESPREPARADO!
    Mas o comentário que mais me valeu foi da Márcia. Acho que ela transmite o que todos querem, força! coragem! vá em frente! luta!

    Estou me preparando para ir, pelo que aprendi até agora, a primeira coisa é o idioma. Uma amiga que acaba de chegar da Itália me disse isso, “Não vá sem falar a língua”, é pagar para sofrer.
    Mesmo que eu consiga um emprego que eu ganhe no máaaaaximo 1000 euros, a qualidade de vida sem dúvida será melhor q no Brasil, onde um shapoo de cabelo comum custa mais R$12,00, o litro da gasolina é R$ 2,93, o transporte público é caro, inviável, ridículo e desumano, roupa boa? kkkkkkk um vestido social comum é mais de R$ 350,00. gente…. é a Márcia e o Danilo disse “nós brasileiros, eternas cobaias risonhas e trabalhadoras dos poderosos do sistema capitalista que adoram o joguinho de “o Governo no Brasil nos dar um papel chamado Real para nos ver jogando no lixo!”
    coisas simples da vida que nós podemos ter e fazer por q o sistema não permite. enfim…. qualidade de vida se tem em país de primeiro mundo, então se você tem coragem, disposição, capacidade, força de vontade e saúde, Bora!!!! a vida sorri pra quem quer vive-la.

    Viver em outro país é uma experiencia que não se compara a qualquer outra, deixa em você uma marca registrada.

    Abraços! espero ter contribuído.

    Por favor se a Márcia Rocha puder me passar seu blog será um prazer. Amei o escrito dela.

  40. Oi Daniel,
    Obrigada por comentar aqui no blog e participar dessa discussao. Uma coisa eh certa: essa experiencia deixa marcas para sempre e voce nunca mais vai ser o mesmo. Vai ter sempre um pouco de la e um pouco de ca…

    Meu objetivo com esse site eh justamente o que voce disse: preparar quem le, para que tenha uma ideia mais realista do dia a dia na Italia, afinal aqui tb tem muito problema, muita corrupcao, politicos repugnantes… se vc assistir um programa de TV da Rai que se chama Report vai entender melhor a situacao. alias a edicao de ontem foi espetacular.

    eh isso. Boa sorte e se vier conta para a gente a sua experiencia. Abs,

    Barbara

  41. Ao Giuseppe

    Nao saberia dizer se as profissoes que vc citou estao realmente em alta? No caso do encanador por exemplo: se as construtoras param de construir porque o mercado imobiliario ta parado e ninguem ta comprando casa, quem trabalha para construtora perde emprego.

    aAlem disso, hoje ja chegam pedacos de imoveis pre fabricados para hoteis, por exemplo onde o banheiro nao tem que ser instalado como antigamente. Ele ja vem pronto. E assim mais uma leva perde o emprego.

    quem me contou isso foi um encanador que veio aqui em casa, fazer um extra sabado e domingo pq o contrato dele nao seria renovado gracas a crise.

    Enfim, a crise atinge todos os setores. Os. Impostos na Italia sao altissimos, as empresas estao se transferindo para outros paises mais baratos, ex leste europeu.

    Eu nao viria morar na Italia neste momento, mas ferias tudo bem. depois se vc se apaixonou por uma italiana, eh outra coisa. Mas com tanto pais no mundo em condicoes melhores, vai vir morar na Italia? eh bom pensar duas vezes…

  42. Ciao Bárbara. Sobre as profissões, eu li em um site bem conhecido que é o Minha Saga, mas claro que as coisa podem ter mudado de lá cá.

  43. Ola Barbara.
    Meu nome é Marcelo e moro no Brasil minha vida inteira, tenho 30 anos e sou descendente de italiano por parte de pai.
    Sempre tive vontade de conhecer a Italia, mais nunca tive oportunidade, mas hoje graças a deus estou em uma cituaçao melhor, e pretendo viaja, conhecer e conseguir a minha naciolidade para residir la.
    Bom, minhas duvidas sao:
    Eu casando com a minha namorada ela pode tentar a naciolidade italiana tambem?
    Eu posso ficar la quanto tempo legalmente?
    Eu posso trabalhar e estudar na italia no periodo de visita?
    Quanto tempo demora para eu conseguir a minha nacionalidade?
    Compensa eu morar na italia?
    Como é morar num pais totalmente diferente de onde eu morei minha vida inteira?
    Sao essas minha duvidas de começo..kkkk…se vc puder me tirar essas duvidas eu agradeceria muito.
    Obrigado.
    Marcelo Tozzo

  44. Olá Giuseppe,
    Ah, eu conheço o Minha Saga e tive o prazer de conhecer o Fábio ao vivo recentemente.
    No entanto, sobre este assunto em particular temos opiniões diferentes.
    Isso não impede que você procure ainda outras opiniões ou então venha para a Itália descobrir você mesmo.
    Um abraço,
    Barbara

  45. Oi Barbara. Sim, eu entendo a sua opinião também, e é importante para tirarmos as nossas conclusões.

    Tomara que ano que vem a crise de uma diminuída. O que você acha sobre ano que vem?

    Abraço!

  46. Ciao Barbara.
    Eu entendo o seu ponto de vista, e falei das profissões que li no site minha saga para saber também a sua visão.

    Mas obrigado pela atenção!

  47. Olá pessoal. Eu e meu marido estamos de mudança para Itália em setembro do ano que vem. Eu tenho cidadania e lá, mais precisamente em Milão, vamos solicitar um permesso para ele. Somo ambos formados em design aqui no Brasil, ele calçados e eu gráfico. Gostaria de uma orientação quanto a questão de reserva de dinheiro para passar os primeiros meses, até irmos nos ajeitando aos poucos. Obrigada!

  48. Ola tudo bem galera…
    boa leitura pra todos ai… Gostei muito das Ideias aqui descritas, estou começando a pesquisar algumas possibilidades pra morar fora do Pais sou solteiro trabalho na Area metalurgica, Atualmente trabalho com Projetos de Moldes para artefatos automotivos, tenho muita esperiencia apesar dos meus 29 anos, estou querendo alguns contatos amigos para umas dicas meu contato é este sldcadprojeto@hotmail.com , estou muito Interessado se poderem me ajudar agradeço…

    Abraço a Todos

  49. Oiii galera, tentei postar antes mas parece que nao deu certo rsrsr…
    Bom estou indo para Italia em 2014. Li as historias e gostei muito!!! Gostaria de mais dicas de como me preparar para essa viagem.

    Obrigado!

  50. Boa tarde! Estou indo para a Itália no próximo mês tirar a cidadania. vou levar algum dinheiro daqui, mas gostaria de ficar algum tempo para conhecer a cultura e novos lugares. Para isso teria que trabalhar com alguma coisa para conseguir me manter. Estou fazendo aulas de Italiano, mas n falo fluente. Vcs saberiam me dizer se é muito dificil arrumar algum emprego simples, como cuidar de crianças ou arrumadeira??? Obrigada!

  51. Tenho uma pizzaria no onterior de São paulo mas esta muito fraco, tambem trabalho de dia em construção civil gostaria de saber se meu ramo de trabalho ae está em alta,tenho boas qualificações em pizzaria participei de campeonatos e fiquei em 4°lugar no brasil foram mais de7 mil pizzarias inscritas mas aqui ninguém liga pra isto eles pensam mais em preço, e este é um dos motivs que tenho vontade de morar na italia ,hoje mesmo vi umar reportagem falando da criminalidade, vi um menino de 15 anos que matou a tia, 1assasino em sere que matou 6 pessoas no brás em sp, um psicopata que empurrou uma mulher no metro que perdeu o braço, um assaltante que baleou a mãe de bruço com uma criança brincando encima dela, e são varias tragédias que se fosse falar encheria só com minhas escritas, tem outras coisas a corrupição no brasil vc ve politicos sendo preso pq roubaram milhões dos cfres publicos e ainda estão soltos e vejo bandidos que mataram e roubaram e sairam da cadeia nos dias das mães e vc me diz para pensar em pensar para ir para italia trabalho de dia e de noite e passo maior sufoco aqui mesmo assim estou devendo em lojas de roupas e outras pq?pq minhas vendas cairão 50 % e pq? Falta de emprego ! Aqui o salario minimo é 724R$um aluguel de uma casa de 2 quartos é de 250R$ obs. periferia . O preço do ônibus é de 3reais a mistura mais barata é 10 reais o kilo e me dizem para pensar! Tive um celta na boa faze de pizzaria dei 2mil reais de entrada parcelei em 48 vezes de 400 reais obs. Carro velho com 9 anos de uso sabe que aconteceu? Começou a quebrar e tive que devolver para o banco ja estava com 3 atrasadas e perdi mais 6 mil que ja tinha pago , o carro foi para leilão e chegou uma carta para mim pagar as custas do juiz sabe mais quanto? 2 mil reais e vc me diz pense !!!! Aí ñ vou trabalhar menos que aqui posso trabalhar de dia e de noite como já faço e garanto que ñ vou ver tragedias como estas e nem juros abusivos. Abuso de altoridade como já passei , só quero um futuro digno para minha filha de 8 anos que ñ precisa ver estas tragedias e nem passar pelo que ja passei.. Obrigado

  52. Oi Bárbara! Gostei muito do seu texto! Tenho cidadania italiana e sou médica, como posso obter informações para validação do meu diploma?
    Obrigada!!!

  53. Quem quiser vir para Itália achando que será melhor que o Brasil está completamente enganado. A Itália não é a terra de oportunidades, a crise está levando os próprios italianos a trabalharem no subemprego, aquele que o brasileiro aceita de primeira pra começar a vida aqui. Vc deve trabalhar muito e grande parte de seu dinheiro vai para pagar impostos e de todos os tipos possíveis. Eis alguns exemplos: A polícia estradale é de um rigor absoluto, aplicam muitas multas para ganhar mais dinheiro, para se ter um idéia se vc passar fora da faixa de pedestre pode receber uma multa, vc paga pela tv aberta *90 euros ao ano), vc paga pela coleta de lixo seletiva e se vc não pagar, porque não tem dinheiro suficiente, deve cavar um buraco e jogar dentro porque não pode queimar, é proibido queimadas, o serviço de saúde não é totalmente gratuito, mês passado torci o pé, fui no hospital público e tive que pagar 50 euros pelo o atendimento que foi realmente muito bom disso não posso falar, consultas especilizadas são muito muito demoradas, a energia é muito cara e o aquecimento tbm. O ideal pra quem vem é que tenha já seus títulos reconhecidos desde o Brasil, para quando chegar aqui irem logo procurando trabalho em sua área e principalmente um apoio de alguém que garanta sua estadia e alimentação durante o tempo que estará desempregada. Vir para encarar um aluguel sozinha além de ser difícil fazer o contrato sem referências, será muito complicado arcar com todas as despezas…

  54. Aquilo que Bárbara disse é verdade, aqui vc desce do salto, ou melhor vc aprende a ser simples, eu ainda espero os meus documentos para reconhecer meu título de enfermeira e minha residência em UTI enquanto isso trabalho de badante que é uma cuidadora de idosos, coisa que nunca pensei em fazer depois que me formei. Como disseram, faxineira tem muito mais cultura do que muita gente estudada, aqui valoriza=se o trabalho independente de qual for. Posso dizer que hoje sou mais feliz porquê sou mais simples, eu ando de bicicleta, aprendi a fazer horta e cuidar de flores, coisas que no Brasil nunca imaginei fazer e devo dizer isso me dá muito prazer. Aprendi a comer de forma saudável, a dar valor ao alimento, sinto prazer discutir o sabor de um queijo ou de um vinho, fazer a mesa e comer nas horas certas, deixar a porta aberta, apreciar o sol e calor reconfortante que ele proporciona nos dias de frio, em fim, aprendi a ser simples… A Itália está enfrentando uma crise tremenda é verdade, mas eu botei na minha cabeça que vou conseguir reconhecer meus títulos e trabalhar na minha área mas sei que devo começar de baixo, aos poucos as oportunidade aparecem, estou exercitando a paciência, o importante é ter foco e dizer pra si que é mais forte que a crise, acreditar em vc. De qualquer modo, dando certo ou não nestes 5 meses aqui só tive coisas a acrescentar, aprendi o italiano, me casei, conheci Paris, conheci a Itália e estou aprendendo a ter mais disciplina com as minhas tarefas. Já no Brasil as pessoas vivem como escravas de empréstimos, a impressão que dá é que as pessoas são ricas sem poder, as coisas boas da vida estão perdendo o valor, as pessoas só pensam em balada, curtição, celular novo, roupa da moda, tentam manter uma imagem do que não são adquirindo dívidas, os preços para tudo são um absurdo porém se dá crédito para comprar, vc paga 280 mil em um apartamento de 2 quartos com garagem e 350reais de condomínio, se endivida meses para comprar uma tv, um carro, uma roupa bacana ou fazer aquele tratamento de beleza. Roubos, violência gratuita, muita crueldade, há um tempo atrás não se via tantos casos de crimes dignos de serial killers americanos no Brasil, mas hoje é comum, é como se a vida estivesse perdendo o valor. Não sei, posso estar errada, mas entre Brasil e Itália ainda prefiro a Itália mesmo com todos os defeitos que citei no meu post anterior.

  55. Boa noite Barbara, meu marido é advogado aqui no Brasil e este ano resolvemos que queremos ir morar na Itália, porém não sei se ele conseguiria trabalhar lá, o que é necessário para validar a profissão dele ou como faço para pagar para ele se aposentar na Itália. Ele pedirá sua cidadania Italiana. Poderia me ajudar por onde começar ou sites que eu possa pesquisar? Obrigada.

  56. Oi Barbara,

    Sou personal trainer e há muito tempo conheci uns amigos da Itália.Este ano decidi que irei passar um tempo lá.que preciso passar por essa experiência.Vc acha que tenho oportunidades de trabalhar na minha área lá na Itália?

  57. Olá, Barbara Td bem ?? gostei muito do seu post e da Marcia Rocha tb, minha duvida é a seguinte estou com documentos prontos para dar entrada na cidadania Italiana, vou para o sul da Itália onde dizem q é tudo muito dificil emprego e tal… Bom tenho em mente arrumar qualquer coisa tipo trabalho em cozinha de restaurante etc… pois estou me aposentando aqui no Brasil e queria passar uns meses lá depois da cidadania reconhecida, seria só pra ter uma graninha pra umas pequenas viagens e tal… O q vc acha ??

  58. Oi Larissa, obrigada pelo carinho! Espero que estejas já aqui na Itália e que tudo esteja correndo a contento prá ti. Deixo meu facebook prá contato: Márcia Rocha 15. Abração!

    Vivian, colega psicóloga, que me escreveu aqui em 2011!! Só vi agora… desculpe-me imensamente! Olha, meu facebook é Márcia Rocha 15, procure-me que quero saber de ti!! Beijão e fique com Deus!

  59. Bom dia!
    Meu primo chama-se Cleber, ele é cantor profissional brasileiro, está neste momento em Veneza, na Itália, procurando qualquer tipo de serviço, contato ou amizade. Alguém poderia ajudá-lo de alguma forma? O WhatsApp dele é +55 35 9243291 e email clebercaronni@gmail.com
    Para conhecer o trabalho dele procure por Cleber Caronni no Youtube.
    Muito obrigado.

  60. Olá, Bárbara adorei o seu post e da Marcia, concordo com você pois está nos preparando para a realidade. Eu e minha amiga pretendemos ir para a Itália, a princípio vamos ficar na casa de um amigo em Milão, e gostaria de saber como está para emprego ?
    E Marcia não consegui te achar no Facebook meu email é alessandra_claudino@hotmail.com
    Um grande bjo a todos e boa sorte !!!

  61. Oi pessoal… ainda ontem me escreveu uma prima, enfermeira profissional, não fala taliano (mas quer fazer um bom curso antes de enfrentar a vida aqui). Meia idade como se diz no Brasil, quase 50. Vocês sabem me dizer se ela teria possibilidade de arranjar trabalho nessa profissão? Se sabe que muitas regiões estão em contenção de despesas e de consequência, diminuindo o pessoal. Nao sei se ela teria interesse em outras atividades. Nao tem cidadania. Sendo assim, qual documentaçao è necessaria? Eu ja expliquei à ela sobre as dificuldades até mesmo pra entrar, nao tendo a cidadania. Mesmo porque se deve respeitar a quota de entrada de Comunitarios e extra-comunitarios. Penso seja uma coisa quase impossivel… Que voce me dizem?? Mesmo porque muitas vezes quando a gente coloca alguma objeçao, as pessoas pensam que è pq nao quremos que venham, mas ja sao muitos anos que a abertura para a procura de empregos complicou e complicou muito. Um abraço em todos e uma boa noite.

  62. Caros, boa noite!

    Quanta informação útil e preciosa aqui encontradas.

    Tenho buscado sanar uma dúvida através de diversas buscas na internet, mas nada achei sobre. A questão é: alguém saberia me informar quais os requisitos para o ingresso no Exército Italiano? Estou prestes a adquirir minha cidadania italiana, porém não encontro em local algum informações sobre requisitos como idade, escolaridade e etc. Sou ex-militar de Infantaria do EB, por isso esse interesse. Alguém que saiba algo sobre?

    Att,

    Garruti

  63. Olá, boa tarde! Adorei ter encontrado esse site de discussão sobre a Itália.
    Moro no Brasil, no interior de Goiás, aqui trabalho como auxiliar de escritório. Sempre tive o sonho de morar fora do Brasil, em 2011 eu queria ir para a Argentina estudar, só que meu pai teve sérios problemas de saúde e não teve de eu ir. Agora estou querendo ir para fora do Brasil para trabalhar, quero muito ir para a Itália, em questão de emprego, pensei em ir e procurar emprego na área da limpeza, restaurante, algo assim, até eu conseguir algo melhor. Gostaria da opinião de vocês, tenho muito medo de não conseguir nada ai, mas mesmo assim quero ir para tentar conseguir um emprego, por que seu eu for e não conseguir, pelo menos terei consciência que fui e tentei mas não consegui, do que ficar aqui na vontade de ir e com medo e não tentar.
    Estou querendo ir em Julho. Não conheço ninguém na Itália. Não sei por onde começar.

    Alguém poderia me ajudar. Desde já Agradeço. Estou muito feliz de poder compartilhar com vocês sobre minha vontade de tentar algo novo.

    meu e-mail: edsuenesabrinypsleav@gmail.com

  64. Oi Barbara!

    Deixa eu te perguntar, morei na Italia por 1 ano, em Roma. Estudei ali turismo. Estou doido pra voltar. Falo bem italiano, sou uma pessoa comunicativa, e sou graduado em Licenciatura e Bacharelado em Geografia. Minha ascendencia italiana é bem longe, portanto nao estou apto a obter a cidadania. Voce tem alguma dica trabalho ai na Bota?
    Falo ingles tambem (apesar de nao ter o toefl/aiets ainda). Tenho vontado de morar ai por amo essa atmosfera cultural/storica do BelPaese, alem do idioma que é belissimo.

    Te agradeço, e continue com suas postagens que nos ajudam muito. Bacione, a presto

  65. Olá, só para deixar uma opinião aqui.

    Primeiramente gostei muito do texto, apesar de ser de 2011, continua bem atual. Mas li uma resposta da Bárbara onde diz “…tenho amigos com PhD que ganham tanto quanto um pedreiro.”.

    Bom, a meu ver isso é ótimo, pois mostra que na Itália as profissões são valorizadas decentemente e não cria aquele pensamento comum de brasileiro de “subemprego”, o que também diminui a desvalorização de certos setores e seus trabalhadores (me refiro aqui aos braçais), e deixa um leque maior de oportunidades para alguém seguir o que realmente gosta de fazer e não uma ou duas profissões que são rentáveis.

    Eu mesmo sou operador de máquinas agrícolas e por escolha; gosto muito do que faço. Fiz faculdade, trabalhei na área, mas não era para mim, decidi fazer o que gosto e estou muito feliz. Por sorte, esse setor aqui no brasil é bom ainda, então ganho um salário médiano (o suficiente para pagar as contas no fim do mês). Estou estudando países onde posso atuar (pois aqui não compensa, qualidade de vida é péssima), e Itália gostei, pois além de ser grande produtor de trigo, eu posso tirar minha cidadania italiana.

    Abraços! Continue com os bons textos.

  66. Ola bom dia, sempre entro neste site para ver materias e comentarios novos, me ajuda muito e abre minha mente.
    Ao final do ano, eu e minha noiva iremos morar e trabalhar na Italia, moramos no Parana Brasil, e iremos para Legnago, norte da Italia, minha prima reside lá, mora a 10 anos na Italia e só tem maravilhas a dizer do pais, meu sonho sempre foi conhecer o mundo e de minha noiva tambem, unimos o útil ao agradável, somos novos e temos tudo pela frente.
    Tenho varias duvidas em relação a morar e trabalhar na Italia, mas iremos com fé, foco e força para que tudo de certo

  67. Oi Barbara,
    Tenho a cidadania e gostaria de saber se voce
    conhece pessoas que recrutam brasileiros para
    trabalhar na Itália.

  68. boa noite sou eletricista soldador encanador trabalho como marido de aluguel tenho itere-se de ir para Itália sera que consigo trabalho ou e melhor trabalhar por conta

  69. Olá Barbara!
    Estou tirando minha cidadania e penso em mudar para a Itália com minha mulher e dois filhos pequenos. Procuro qualidade de vida, com saúde e estudo de qualidade pros meus filhos, estou cursando direito aqui e pretendo dar continuidade aí curso na Itália. Como está a crise ai!? Já se fala menos nela ou ainda é bem evidente!?

  70. Ainda é bem evidente… E não é que existe uma perspectiva de melhoria tão breve… Na verdade, estão todos preparados para o pior. Italiano é um pouco pessimista, mas o fato é que é um momento de cortes, não um momento de prosperidade. Isso não significa que você nunca vai achar um emprego aqui, não é isso. É só que o país vive um momento de declínio e não de expansão.
    Abs Barbara

  71. Oi Barbara, tdo bem? Estamos com a ideia de mudar com a família p a Italia. Temos descendência Italiana, meu sogro é de Genova . Meu marido trabalha com doma de cavalo., e soubemos que existe um mercado de cavalos aí….Vc acha que existe mesmo ramo para isso? Temos uma renda aqui de aluguel q daria para despesas fixas até nos ajeitarmos…. Temos a ideia de comprar uma propriedade rural pequena para ele fazer o Haras e tbm morarmos…. Acha que consegue me ajudar com alguma informação que pudesse nos dar um pouco de direcionamento? Obrigada, e parabens pelo seu trabalho!

  72. Olá Bárbara, tenho lido diversos dos seus artigos (para não dizer que li todos kkkk).
    Tenho interesse em trabalho temporário na Itália, 3 meses. Tenho minha profissão no Brasil (sou psicóloga), mas mesmo assim gostaria de trabalhar durante esses 3 meses pra sustentar minha estada (como você falou, o custo de vida é alto e não tenho esse dinheiro disponível de saída). Que tipo de empregos você acredita que eu conseguiria como temporária, assim como qual o melhor período para contratação com esse perfil?
    Agradeço muito suas dicas, elas tem sido bastante esclarecedoras em minha busca.

  73. Olá Letícia, tudo bem?
    A única coisa é que como turista você não pode trabalhar na Itália… A Itália não requer visto para quem fica 3 meses no país COMO TURISTA. Por isso se você conseguir alguma coisa será “in nero”, ou seja, sem contrato e de forma ilegal…

  74. Olá, procurando informações sobre empregabilidade na Italia achei esse blog, fantástico! Bem, Tenho uma irmã que vive na Itália há 4 anos, não conseguiu emprego ainda, fez um tecnólogo de estética para ver se consegue alguma coisa. Oque ela faz, faz “in nero”, e apenas para amigos, pois se a fiscalização descobre, é multa, e altíssima. Ela é casada, sente falta daqui, ás vezes quer voltar, mas é só coisa do coração. Apesar de viver como dona de casa e fazer uns bicos de vez em quando, o padrão de vida deles é muito bom. Não são ricos, mas tem uma vida simples de tanta qualidade, aqui mesmo que ela ganhasse o equivalente lá, ainda viveriam n aperto.
    Eles podem viajar umas duas vezes ao ano, sair p jantar fora, sem contar as moedas, sem falar no “aperitivo, que é bem tradicional. Não dá pra comparar, gostaria muito de ir pra lá, se eu conseguisse alguma coisa. Tenho pesquisado trabalho com ilustrações, mandado curriculos, mas sei que talvez isso n aconteça, pois tem muitos refugiados lá. Quando fui em Roma , em junho desse ano, caramba, fiquei até chocada de tanta gente refugiada lá, nas ruas, vendendo muamba… Quando fui há 4 anos atrás não era assim… espero que melhore, e espero um dia conseguir alguma coisa e ter uma vida próxima a minha irma… que amo muito.

  75. Boa noite, muito informativo este espaço, parabéns ! Minha esposa tem cidadania, porém não conhecemos nada na Itália. Devido atual situação do Brasil, estamos pensando em passar algum tempo na Itália, aprender a língua e trabalhar… A ideia é pegar o que aparecer como trabalho, pelo menos para nos mantermos… Será que conseguimos ? Ou é loucura atualmente ?

  76. @Daniel Borba Aqui na Italia tem uma pequena recuperação económica, mais è do tipo “jobless”, ou seja com pouca criação de novas vagas de emprego. Porem isso significa pouco, ou nada. Por exemplo, tem sempre vagas para caminhoneiros: quais são as experiências de trabalho de vocês? Nume site como este (http://cercalavoro.monster.it/) parece ter alguma coisa que vocês podem fazer? Lembrando que o cônjuge de um cidadão pode entrar no pais, mas para trabalhar a permissão não é imediata.

  77. Boa noite,

    Gostei demais das postagens que li e parece que já sou íntima de vários…rsrs. Estou querendo ir pra Itália para começar do zero. Acabei de ser desligada da empresa que trabalhava (departamento pessoal e financeiro) e isso me deu mais energia em pensar em sair do Brasil. Na verdade meu sonho e do meu marido sempre foi morar fora do Brasil, pela qualidade de vida, mas infelizmente não tivemos oportunidade antes. Esses dias estou lendo bastante e tentando entender tudo sobre a Itália (Europa). Eu e meu marido somos descendentes de italianos e estamos correndo atrás da nossa cidadania, mas aqui em BH (MG) é um processo muito lento. Quero aproveitar que não temos filhos pra correr atrás do nosso sonho. Amo trocar idéias, conhecer e aprender com a experiência de todos vocês, são informações muito ricas e válidas.
    Espero em breve estar na Itália também…DEUS abençoe a todos!!!

  78. Olá Barbara,
    Sou advogado frustrado no brasil, estou tirando a cidadania italiana, acredito que até o meio do ano de 2016 eu esteja com o passaporte italiano em mãos.
    Falo muito pouco italiano e recentemente estive no sul da italia e adorei.
    Li o tópico que voce escreveu que é uma furada trabalhar em outra area, como por exemplo de garçom.
    Sei que nao poderei advogar na italia, teria que um escritorio na italia me contratar por 2 anos, o que nao ocorre atualmente.
    Penso em procurar por qualquer emprego, inclusive de garçom, e gostaria de entender porque seria uma furada.
    Infelizmente nao tenho ninguem que me acolha na italia e nao tenho nenhum emprego certo, mas gostaria de viver na italia, penso em ir e procurar algum emprego, e se fosse possivel ja ir com emprego certo.
    Agradeço o espaço disponibilizado pelo site.

  79. Marco,
    Acho que é uma furada porque em algum momento você vai se perguntar: “mas eu estudei 5 anos no Brasil para carregar prato?”. Oras, tudo é uma questão de ponto de vista e objetivos. Na Itália, um trabalho é nobre como outro qualquer (bem, mais ou menos). No Brasil, não. Então pode ser que depois de alguns meses, ou talvez até anos (porque às vezes o provisório vira a normalidade) você pare para se questionar se todo o sacrifício que você está fazendo tem sentido.
    Sim, você até pode trabalhar como garçom, vendedor ou o que for. Mas deve ter um plano B. Um objetivo. Nenhum trabalho é fácil, imagina você que nunca trabalhou como garçom tendo que aprender uma nova profissão! Por que não gastar toda essa energia para continuar na sua profissão? Mais planejamento é igual a menos sofrimento. Boa sorte para o que você decidir.
    Um abraço,
    Barbara

  80. Olá Barbara , agradeço a resposta.
    Faz 13 anos que sou formado e habilitado pela Ordem dos Advogados no Brasil, porem esse titulo nao me vale na italia, (somente se algum escritorio de advocacia na italia me contratasse por 2 anos), ja gastei 13 anos após formado de energia para continuar essa profissão de advogado, mas nao quero ficar no Brasil, confesso que estou meio perdido, mas tenho certeza que no Brasil nao quero ficar. Meu objetivo no momento é sair do Brasil. Ainda tenho o problema da lingua, pois falo muito pouco italiano.
    Agradeço as considerações.
    Marco.

  81. Oi Marco. Eu gostaria de dar a minha humilde opinião de italiano, que tem 48 anos e que viajou e trabalhou em muitos lugares, desde que a Barbara tem, muito gentilmente, ja oferecido o seu espaço neste site para os meus comentários.

    Acho que seja sempre muito dificil e “perigoso” falar sobre os sonhos, os desejos, as necessidades, ou seja sobre a vida real das pessoas. Este é um assunto muito serio. Aqui na Italia dizemos “non sono chiacchere da bar”, não é aquele bate-papo leve sobre futebol, mulheres e politica, que se faz com os amigos tomando uma cerveja num barzinho na praia. Claro, essas são somente ideias trocadas na internet, mas opiniões e colocações superficiais podem ter um peso, para quem ouve, bem maior do que se pode imaginar.

    Eu concordo com Barbara que nem sempre vale a pena aceitar -ou procurar- qualquer trabalho para morar no exterior, e que, ao contrario, isso pode ser perigoso, pode levar as pessoas ao desânimo, a desconfiança, a decepção nos primeiros meses, que é o momento mais dificil para todos, tambem para os profissionais de nivel mais alto. Nestes meses a frustração è o pior inimigo e, sem duvidas, os sub-empregos são grandes fontes de frustração. Uma outra coisa bastante importante de ter em conta quando quando voçê procura um trabalho “qualquer”, è que alem dos novos hábitos em um novo pais, de um novo idioma, alem dos micos que voçê vai obviamente pagar, voçê vai ter que aprender um novo trabalho. Tudo no mesmo tempo. Claramente milhões de pessoas fazem isso em todo o mundo, mas isso não significa que vai dar certo com voçê. Não somos todos iguais, não somos todos flexíveis na mesma maneira, temos diferentes ritmos de adaptação.

    Na Europa tem uma “piada” sobre os sub-empregos: “Trabalhar na sua área é mais fácil se sua área for de limpeza”. Cruel, ma isso não significa nada. Tem muitos romenos que 10 anos atraz começaram a fazer limpeza nos predios e agora são donos de empresa que fazem limpeza nos predios. É tudo uma questão de adaptação. Aqui na Italia tem gente esnobe e arrogante? tem, mas como falou Barbara é verdade que, mais ou menos, um trabalho é nobre como outro qualquer. Aqui temos (sobretudo no Norte do pais) uma verdadeira “cultura do trabalho” e essa é a primeira frase da nossa Constituição: “A Itália é uma república democrática, fundada sobre o trabalho”.

    Então a conclusão é que não tem regras absolutas, que valem para todos. Na area da Tecnologia da Inofrmação (a minha) com pouco italiano e bom inglês ainda é possivel achar vagas. Na sua area, Marco, acho que não. Mas o plano de vir para cá e procurar algum emprego pode dar certo, você não precisa de visto e pode aperfeiçoar muito rapidamente o italiano. E talvez pode contar sobre pontos fortes que você nem sabe que são interessantes, coisas que você é acostumado a tomar como certo, mas que aqui podem ser valorizadas. Um conselho pratico pode ser procurar trabalho no norte da Italia, mesmo se você gostou do sul, pois enfim as oportunidades são bem maiores.
    Desculpe o longo comentario e o meu português ainda muito ruim.

  82. Olá,
    Gostaria de saber se na Itália, e, ou nas cidades menores a área do fitness é boa? Sou formando em Ed. Física e gostaria de ir como turista e tentar trabalhar como personal ou algo qualquer até ficar mais fluente no italiano e conseguir alguns clientes no gym. Vale a pena? Tenho boa aparência e bom porte físico! 🙂

  83. Olá, gostei muito deste post e do site, bom, queria jogar a real, sou peruano, radicado no Brasil, e queria morar na italia, e poder trabalhar lá, você acha uma boa eu ir lá como turista e tentar conseguir um emprego? ou é muito arriscado?

    saudações.

  84. É muito arriscado: quem garante que você vai receber salário no final do trabalho se trabalhar ilegal. E depois se não receber, vai reclamar para quem? Para vir para a Italia sem direitos, melhor ficar onde está. Informe-se detalhadamente sobre como vir legalmente… Dá mais trabalho antes, mas você evita dificuldades depois.

  85. Barbara, Obrigado por me responder! mas é que eu sou autonomo, sou youtuber de games, e também trabalho com e-commerce, isso melhora a minha situação? ou sabe se há alguma forma de eu conseguir um visto para trabalhador autonomo?

  86. ola barbara tudo bem ?
    gostaria de tentar a vida na italia trabalhando em qualquer area o que vc acha ?

  87. Olá! Gostaria muito de começar uma nova vida na Itália. Sou casado, mas irei na frente para qualquer tipo de trabalho. Não importa qual é o trabalho, mas gostaria muito.

  88. Você pensa em obter um empréstimo? Você está seriamente na necessidade de um empréstimo urgente para iniciar seu próprio negócio? Você está em dívida? Esta é a sua chance de alcançar o seu desejo, nós damos empréstimos pessoais, empréstimos comerciais e empréstimos a empresas e todos os tipos de empréstimo com juros de 2% para mais informações entre em contato conosco via e-mail (mouracompanyltd@gmail.com)

  89. Acho que a pessoa deve fazer uma análise profunda do que quer da vida antes de sair do Brasil para fazer qualquer atividade em outro país para recomeçar sua vida. Claro que não nos conhecemos tão bem sem realmente estar na situação, mas um pouco de auto conhecimento prévio faz diferença nessa decisão.
    Tem gente que nunca limpou sua própria casa e fala que se necessário vai trabalhar de faxineira no país estrangeiro, claro que na necessidade damos um jeito, mas será que você vai se sentir bem fazendo esse trabalho, que nunca nem fez na vida?
    Subestimamos achando que qualquer um é capaz de ser um bom vendedor, um bom garçom, ou faxineiro, ou qualquer outra profissão que aqui no Brasil é visto como emprego de pessoas que não estudaram, e por ser um emprego de quem não estudou, você que estudou acha que se ele pode, você também pode dar conta do recado.

    A grande diferença que vejo entro o Brasil e a Itália, é que com um salário de garçom você tem vida digna (sem luxos) na Itália, aqui no Brasil isso é impossível.

    Carreira, profissão, status social que a sua profissão traz, ser reconhecido por sua profissão, o quanto isso é importante para você? Acho que se é muito importante, a pessoa deve analisar se vale a pena sair do Brasil, recomeçar, passar perrengues para demorar trocentos anos, se tiver sorte, para chegar ao mesmo patamar que estava antes de sair do Brasil profissionalmente falando.
    Acho que morar fora não é para todos. Você tem que alinhar a cultura e jeito de viver do novo país a suas preferências pessoais. Se você é um capitalista que acredita na ideia do “vencer na vida”. Acho que a Itália não é para você.
    Vejo na Itália a possibilidade de você viver com dignidade e relativa qualidade que aqui no Brasil você precisaria se esforçar muito para alcançar e paga muito mais caro.

  90. Exatamente Flaviana. E vale a pena lembrar que muita gente pensa: ah, como garçom vou ganhar 1000 euros, trabalhando na minha área (seja lá qual for) vou ganhar 10.000 euros. E não é bem assim porque ter um salário de 2000 euros na Itália não é a coisa mais simples do mundo… Além do que os impostos na Itália são altíssimos e precisa saber fazer as contas: porque ganhar 1000 euros a mais por ano pode significar mudar de quota, pagar muito mais imposto e, consequentemente ganhar menos no ano! Nem sempre o trabalhar mais aqui significa ganhar mais.

  91. Uau!
    Sou de Curitiba, sou carreteiro com anos de experiência no Brasil e perdi o trabalho de R$ 4500,00/ 5000,00 lá em Janeiro/2016, tá ruim mesmo, só apareceram trabalhos pra ganhar de 40/50 % do que eu recebia, estou atualmente em Lisboa há dois meses, estava trabalhando como ajudante de motorista a €40 por dia mas nem sempre tem trabalho, estou pensando muito em ir pra Roma ou Milão. Tenho lido muitas coisas neste blog, gostei de dezenas de dicas mas não me esqueço de uma em que a Barbara menciona que de Roma pra baixo ela não vai… rs rs
    Se alguém tiver alguma dica pra passar sobre tudo que envolva transportes e logística na Itália, de preferência em Roma, ficarei grato, só vou juntar mais algum dinheiro e vou à Itália, aqui em Lisboa e arredores a coisa também não está lá muito boa, o mínimo tá € 530 e é muito fácil achar exploração.
    Parabéns ao blog e a todos que deixam suas contribuições nele, são de geande ajuda!
    Obrigado!

  92. É sempre muito bom ler esse blog, parabéns, estarei na Itália em fevereiro para tentar a sorte, tentar mudar de vida e melhorar a qualidade dela para meus filhos, um forte abraço Barbara.

  93. Excelentes discussões!
    Eu e meu marido estamos indo para Ravenna e gostaríamos de estreitar contato com brasileiros que vivem nesta região ou proximidades para trocarmos informações.
    Trabalho na área de Arquivos , Biblioteca e Ecoturismo; ele em construção civil (especialmente elétrica, hidráulica, pintura e reformas em geral)
    Eu já tenho cidadania e meu marido dará entrada quando estivermos residindo lá. Obrigada!
    Meu e-mail para contato: gracilaprof@gmail.com

  94. Olá Barbará, Parabéns pelo site! Gostei muito dos comentários da Márcia também. Eu sou advogada aqui no Brasil e tenho cidadania italiana. Estou amadurecendo a possibilidade de morar na Itália no final de 2017.
    A ideia é fazer cursos técnicos aqui no Brasil de manicure e depiladora para para viabilizar financeiramente a minha permanência aí em médio prazo.
    Apesar de os trabalhos não estarem fáceis na Itália, você acredita que seja viável conseguir emprego nessa área? E o salário? Agradeço por qualquer informação. Obrigada!

  95. Tem alguém ai que pode Barbara,que pode organizar minha ia para trabalhar ai :se poder me responder por email,agradeço!!!
    Um ano de trabalho pra mim já esta bom,pra fazer um pé de meia..$$$$$

  96. Bárbara , adoro seu site
    Tenho direito a cidadania, meus irmãos já tem , então está menos difícil isso para mim.
    Fui empresário por muitos anos aqui no Brasil, mas a empresa não sobreviveu a essa crise .
    Já estou investindo o valor de uma moto em um curso de italiano e em fevereiro, mais tardar março de 2017 estou embarcando para recomeçar minha vida aí na Itália…
    Acho que queimei o fusível capitalista. Agora quero paz.
    gostaria de contribuir com minha humilde opinião sobre algo que meus amigos e irmão comentam sobre muitos brasileiros que migram para Itália, e chegam lá sem falar o idioma , alguns mesmo depois de anos na Itália ainda não são fluentes…ouço histórias de brasileiros que tentam impor seus costumes , reclamam muito por não ter feijão , pelo croassan ser doce no café da manhã… Coisas desse tipo, e depois voltam embora pois não se adaptaram.
    Acredito que o preparo é um fator para o sucesso , e o sucesso é resultado da perseverança e da capacidade de identificar os erros e corrigi-los.
    Apenas sair daqui com a cara e a coragem não garante o sucesso da empreitada .

    Ricardo sette

  97. Uau, estou muito feliz em ter encontrado esse blog. Confesso que passei a tarde inteira lendo os posts e os comentários. Este post em particular ajudou muito a me consolar. Sou formada em veterinária, sempre tive uma vida fácil em SP pela sorte de ter uma família muito trabalhadora e que sempre acreditou na importância dos estudos. Pensem numa típica jovem brasileira de classe média, filha de médicos sem nunca ter tido que trabalhar. Sou eu! Tenho plena consciência de ser uma minoria extremamente pequena do Brasil (e do mundo) e de ter crescido numa bolha super privilegiada no Brasil.

    Moro em Civitella di Romagna – FC, Emilia-Romagna, 3.000 habitantes.
    Comecei trabalhando em produção de coelhos, como peão mesmo, amava, tinha tudo a ver com a minha profissão.
    Já fiz “animatora” de “centro estivo” por dois anos e professora em um “oratorio / dopo scuola” para escola elementar e média.

    Atualmente na Itália trabalho nas manhãs, inclusive aos sábados, como cuidadora de uma idosa. Ganho em “nero” 500 euros, trabalhando 4h por dia. É um trabalho muito bom, pois tive sorte que essa senhora ainda é bastante auto-suficiente. Estou aprendendo muito, o dileto, a culinária tradicional romagnola, a cultura, a educação, as manias, as tradições, o dia-a-dia dos italianos. A tarde dou aula particular ou curso de inglês. (15 euros por hora). Meu terceiro trabalho eu considero uma exploração, mas não acredito que seja uma exploração de estrangeiros. Acredito que seja exploração como em qualquer outros lugar do mundo. Ironicamente, trabalho pela paróquia da cidade e não pensem que por ser uma paróquia o trabalho deveria ser voluntariado. Aqui na Itália as paróquias são muito potentes e com um grande peso e importância na comunidade italiana. Por exemplo, eu trabalho para a escola materna da paróquia que é a única da cidade. Ou seja, é uma escola privada em que para frequentá-la é preciso pagar uma mensalidade. Portanto, teoricamente a escola deveria ter um um porcentual reservado para pagar legalmente uma pessoa para a limpeza. Isso é obrigatório pelas leis italianas, principalmente em uma escola. Mas, como muitas burocracias religiosas, isso não acontece. Ganho 350 euros “puliti” por mês com voucher para trabalhar 4 horas por dia: 2h com adm e contabilidade e 2h com limpeza. Se fico doente, azar o meu. Se não vou trabalhar, não ganho.

    Se me sinto bem fazendo esses trabalhos ao invés de ser veterinária? Não sei. Tenho meus sérios momentos de crise, em que choro e gostaria de trabalhar com aquilo que sempre gostei e estudei: produção de suínos. Mas, não é tudo ruim, desses meus três trabalhos descartaria só a limpeza que é muito cansativa, faz mal para a saúde (pensando a longo prazo) e mal remunerado. Porém, acho que a parte pior de todas é conseguir se livrar dessas condições impostas pela sociedade. Li em um comentário aqui em cima, acho que de um Danilo, em que ele comenta exatamente isso. Eu cresci e fui educada achando que a minha felicidade poderia ser alcançada com o sucesso profissional. Mas ninguém nunca me explicou que, primeiro, a felicidade está em vc, não em outra pessoa ou em um outro lugar; segundo, que o sucesso profissional é só para ganhar dinheiro e viver uma vida cômoda. Eu sei que aqui muitos não concordarão comigo. Mas eu acredito que uma pessoa deva viver para aquilo que gosta e que traz felicidade. Para aqueles que conseguiram o combo da felicidade mais profissão, fico muito feliz. Mas para mim, eu sou muito mais feliz quando estou reunida com a minha família ou amigos curtindo uma viagem, ou um almoço num restaurante, ou deitar na grama do parque, jogar a frescobol, nadar na piscina, ler um bom livro.

    Resumindo, todos os dias, naquelas 2h de limpeza enquanto eu limpo mesas, varro e passo pano no chão do salão, tiro sacos de lixos fedorentos com fraldas sujas, limpo privadas e brinquedinhos de criança, eu me sinto um lixo! E muito disso é por causa da sociedade. No Brasil pq eu sou faxineira e não veterinária e na Itália porque eu sou tratada como estrangeira chinesa que não merece nenhuma dignidade. E me pergunto: por que? Por que me submeter a tudo isso? Então eu lembro da minha qualidade de vida, da minha segurança, da comida italiana, do meu marido que me espera em casa e me ama (motivo pelo qual me mudei para a Itália), na qualidade de vida que poderei dar aos meus filhos… e tudo passa. Tenho certeza que no Brasil a minha vida profissional seria milhões de vezes melhor, mas que com certeza a qualidade de vida não chegaria aos 10% do que eu tenho aqui. E não acredito que meu marido italiano sobreviveria a mais de um mês na violência de SP.

    Gente desabafei mesmo. Estava precisando. Obrigada pelo espaço e para quem teve paciência em ler tudo, espero que eu tenha contribuído um pouco para as suas dúvidas. Aliás, tenhos sorte também porque o meu marido sendo italiano, é muito mais fácil de entender muita coisa por aqui. Além disso ele tem um trabalho fixo com contrato tudo certinho. Não ganhamos muito. Ele ganha 1.100 euros por mês com 13 e 14 salário. Moramos de aluguel (450 euros por mês) e temos uma sorte gigante que a nossa casa é na frente do trabalho dele, o que quer dizer zero gastos com carro e gasolina. E por esta facilidade à noite ele consegue dar aulinhas particulares para adolescentes que frequentam o colegial. É sempre um dinheirinho a mais para uma pizza ou um rodízio japonês em Ravenna (nosso rodízio preferido).

    PS: adorei o comentário da Débora Lyra, foi muito inspirador!

  98. Bom dia Cinthia,
    Sabe que se bobear eu já devo ter passado pela sua cidade ou próximo… já fiz diversas vezes as estradinhas que vão da Toscana até a Emília, toda vez juro que é a última porque morro de enjoo com as curvas, mas depois o tempo passa, eu esqueço e lá vou eu de novo… Kkkk

    Obrigada por compartilhar a sua história, tenho certeza que será útil a outros brasileiros. Quando criei esse site o objetivo era dar informações para que, com conhecimento, cada um possa escolher a sua estrada da melhor forma possível.

    Acho que a Italia mudou muito nos últimos anos. Aquela história de ter um contratto a tempo indeterminado não existe mais. Quem tinha, ainda mantém. Para quem chega é cada vez mais raro. Aí qual a alternativa: a gente tem que viver em uma contínua busca por trabalho. Os empregadores dizem 2 dias antes se vão ou não renovar o seu contrato, se você tiver um. Cada vez diminuem mais os benefícios: do tempo indeterminado para tempo determinado, para contrato a progetto, para voucher e P.IVA.

    Por isso acho que aquela história de vou para a Italia para viver melhor a vida é relativamente verdade. Todos os meus amigos que trabalham passam 10 horas fora de casa, algumas são mães e veem os filhos por meia hora, depois que ele passou o dia na escola, na casa da avó e já vem jantado e de banho feito. Não muito diferente do Brasil.

    Às vezes a gente simplesmente tem que se adaptar a realidade da cidade onde vive. Mas graças a internet cada vez é mais fácil buscar alternativas, procurar novos caminhos. Tente imaginar como poderia usar seus talentos na Italia e ganhar com eles. Transforme o que os outros veem como “defeito” em qualidade. Nos meus primeiros anos aqui, como jornalista que não é e nunca vai ser fluente no italiano como um jornalista italiano que escutou a lingua desde bebê, achava que o fato de falar português só me atrapalhava. Quando me oferecia para um trabalho me contratavam e depois falavam: “mas será que você pode escrever em inglês invés de português?”. Fui construir a minha estrada. É demorado e cansativo. Mas é do jeito que eu quero.

    Desejo boa sorte para você. Que cada vez mais nós brasileiros (na italia ou não) possamos construir coisas belas.

    Abs

    Barbara

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here